Menu
ENDONEWS EM WORD
06/10/2016 - 19h03 em Espiritualidade

Endonews 100 - 03 de abril de 2017. 

POR UM NOVO MANTRA - VAI MELHORAR!

Muitos dias atuais podem ser considerados como parte integrante dos tempos difíceis. Por mais complicados e confusos que possam parecer, são ciclos absolutamente necessários à provação e ao fortalecimento de crenças, ideologias e instituições. Daí os debates acalorados, a resistência a novas idéias, a violência desenfreada que procura impor domínios, o desespero da entrega do poder, a promoção da desconfiança, do boato, da falsidade e do descrédito de pessoas e instituições, e por aí afora.

Diante de tantas incertezas - passageiras, efêmeras, ilusórias - procuremos tanto quanto possível lembrar da nossa responsabilidade de vivermos a vida segundo nossa fé, sem que isto represente negligência, omissão ou acomodação.

Nas horas de nossa provação, e muitas vezes diante do descrédito geral, podemos verbalizar um novo mantra: VAI MELHORAR! Vai mesmo. Neste mundo físico, onde tudo é efêmero, todos os seres humanos estão matriculados na escola de aprendizes da vida. Daí a necessidade de uma escolha responsável e madura: vamos continuar eternos aprendizes ou vamos lutar para superarmos as nossas mazelas e conquistarmos a nossa exaltação como mestres da vida?

 Para os que acreditam na eternidade da vida, não há desafio que não possa ser superado.

* * *

CHEGAMOS!

Este é o centésimo Endonews! Mais do que simplesmente percorrer um caminho, tornou-se motivo de satisfação por termos completado mais um ciclo: 1+0+0 = 1. Depois de percorrer as etapas de um projeto de existência, tudo retorna à Unidade. Nesta data que marca mais do que apenas uma trajetória no plano físico - muitas sementes foram plantadas e muitas ideais foram compartilhadas - não podemos esquecer daqueles que serviram de exemplo, daqueles que contribuíram com seus retornos e daqueles que sempre estão ao nosso lado. A todos eles, nosso carinho!

Que a luz do Sol eterno brilhe sempre no céu da nossa vida!

 

 * * *

Endonews 99 - 14 de fevereiro de 2017.

SE O GRÃO NÃO MORRER!

Uma das mais intrincadas e polêmicas questões sobre a existência humana diz respeito, paradoxalmente, não à vida, mas à morte, e tudo o que ela representa, porque é transcendental, indecifrável, mas absolutamente real e concreta.

Nada nem ninguém escapa à morte. Este é o único enunciado dessa lei maior, que supera qualquer lógica e todo esforço. O indivíduo pode espernear, resistir, usar de qualquer artimanha imaginável, porém tudo é inócuo. A morte é implacável - e absolutamente democrática -, pois não poupa ninguém: nem o sábio e nem o bom, nem o forte e nem o rico, nem o jovem e nem mesmo o santo.

Não há medicamento, milagre, prece ou barganha possível de iludir o chamado Arcano XIII (o arcano da morte no Tarô, que trata da efemeridade dos acontecimentos em nosso cotidiano), pois enquanto o indivíduo não constituir condições de, por seus próprios méritos, superar e vencer a morte todas as tentativas resultarão infrutíferas.

A Medicina e os fabricantes de cosméticos que o digam, pois o máximo conseguido até hoje foi melhorar as condições de vida e prolongar em alguns anos a existência das pessoas. A verdade é que a humanidade continua a buscar a poção máxima do elixir da longa vida. Mas viver mais para quê mesmo?

Aparentemente o contrário da vida, a morte tem sido mal interpretada pela humanidade, que parece ver nela apenas a antítese ou a negação da vida, o que não é verdade, porquanto ela é, na realidade, apenas o anverso da mesma moeda.

A morte é como um segundo polo elétrico (positivo ou negativo), mas não devemos limitar nossa visão abordando o assunto apenas como sinônimo da eterna luta entre o bem e o mal. Nada disso, a energia só pode ser gerada pela comunhão (com + união) dos dois pólos, ambos absolutamente indispensáveis à geração de calor e luz. Num sentido mais abrangente, parece-nos de todo importante entender que um não é o oposto do outro, mas sim uma espécie de gêmeos, cada um indispensável à existência do outro.

Com efeito, a vida contém a morte e a morte, num plano de consciência superior, contém a vida, ou seja, basta uma criança nascer para começar a envelhecer. Torna-se necessário reconhecer que é preciso morrer a cada instante para renascer em outra realidade. Se o grão não morrer, a semente não germinará. Se a casca de ovo não romper, não haverá uma nova vida.

À vista da presente reflexão, procuremos identificar com sinceridade quais são os nossos propósitos nesta existência e sobretudo corrigir rumos, quando necessário. Se quisermos concretizar algum tipo de sonho que o façamos bem e com a mais absoluta certeza!

 * * *

Que a luz do Sol eterno brilhe sempre no céu da nossa vida!

 

 

Endonews 98 - 02 de janeiro de 2017.

ETERNA RENOVAÇÃO!

É bom partir, mas é apropriado retornar. É bom relaxar, mas o trabalho é absolutamente necessário. É bom substituir o velho pelo novo, porque faz parte da eterna renovação. Precisamos sempre recomeçar. Mais do que figura de retórica, estes fundamentos são a essência da lei dos ciclos da natureza, à qual também estamos sujeitos. A não observância gera desarmonias e desequilíbrios.

Antes de virarmos completamente a página de um ano que foi tão criticado, difícil, às vezes até debochado, é sempre bom lembrar que só crescemos quando as dificuldades e desafios batem à porta da vida.

Antes de só colocarmos a culpa em outras pessoas e situações, se pudéssemos rotular o ano de 2016 como regido por inteligências que testaram nossos limites, poderíamos melhor compreender as imensas possibilidades que nos tornaram mais calejados na arte de viver.

Então, poderíamos ter mais humildade e agradecer os desafios que enfrentamos e, também, nos prepararmos melhor para o ano que se inicia.

Muitas pessoas ficaram ou ficarão revoltados por inúmeras mudanças, mas no campo espiritual, nos ensinam os grandes mestres, não somos pagos por eventuais acomodações futuras, mas sim pelo trabalho que realizamos dia-a-dia.

Desta forma, precisamos ficar atentos para não alimentarmos desesperanças e desamores, mas olhar com esperança e fé todos os dias. Façamos a nossa parte, porque tudo que foi, será novamente. É sempre um eterno recomeçar.

 

Feliz ano novo!

Endonews 97 - 11 de novembro de 2016.

A RODA DA VIDA

Meu amigo, se você é rico ou pobre, jovem ou velho, se está feliz ou passa por dificuldades em sua vida, precisa compreender que essas situações não são exatamente o fundamento da existência humana, de vez que são questões efêmeras, passageiras e próprias para a absorção de importantes lições que precisamos aprender.

No mundo físico, nada é para sempre e nada é de graça, pois a roda da vida continua girando. Em síntese, tudo é uma questão de entendimento e paciência, pois chegará o momento em que tudo vai mudar e poderemos então sorrir de nossas ansiedades e angústias.

Para aproveitarmos as oportunidades que surgem a todo instante, precisamos mudar a visão que temos do mundo e da vida. Isto significa ampliar nossa maneira de pensar e agir acerca dos acontecimentos. De nada adianta sonharmos com um mundo melhor se nada fizermos para concretizar os nossos. Não podemos esquecer que o mundo é do tamanho dos nossos sonhos e, que, portanto, somos nós mesmos que fazemos o nosso próprio destino!

 * * *

PROJETO UNIDADE DIVINA

  Cientes de que a dinâmica do mundo moderno exige atitudes ou provocações que estimulem a mente a responder com rapidez a questões acerca do cotidiano da espiritualidade, estamos desenvolvendo o projeto em pauta, com a elaboração de ensinamentos, instruções e reflexões rápidas - cerca de 1 minuto cada.

O projeto contempla inicialmente a realização de 100 vídeos específicos, dos quais 36 já estão prontos e disponíveis em playlist específica no canal do Endoismo no YouTube ou através do Portal do Endoismo - que pode ser acessado pelo link www.unidadedivina.com.

O primeiro vídeo é 01 - Objetivos Fundamentais: 

https://www.youtube.com/watch?v=rnRBC3uOrcU 

Que a luz do Sol brilhe no céu da nossa vida!

 

* * *

 

 Endonews 96 - 16 de setembro de 2016. 

OLIMPÍADA DAS ALMAS - parte 3 - conclusão

 
Agora já podemos sintetizar o objeto de nossas considerações, dizendo que a olimpíada das almas é uma competição destinada a ultrapassar o grau onde estamos para atingir um novo patamar. Podemos, então, alinhar algumas modalidades de cunho espiritual, entre outras:

 

Abundância, alegria, amor, beleza, criatividade, esperança, fé, fraternidade, harmonia, honra, inocência, justiça,

liberdade, luz, misericórdia, perfeição, retidão, riqueza, sabedoria, serenidade, sublime, verdade e vitória.

 

O estudante do bom caminho, obviamente, se perguntará quem até agora conquistou medalhas de ouro, prata ou bronze, ao que sua intuição dirá que a resposta pertence ao oculto. O que não nos impede de continuar buscando respostas, nem de tentarmos atingir índices para um dia também subirmos ao pódio. Por enquanto, ficamos com as mais belas perguntas:

             Quem são os seres humanos mais abundantes?

Não se limite - abundância é mais do que apenas posses materiais.

            Quem são os seres humanos mais alegres?

Procure entender - alegria não é apenas estar sorrindo.

            Quem são os seres humanos mais amorosos?

Pense grande - amor não significa apenas amar a família ou fazer caridade.

            Quem são os seres humanos mais bonitos?

Olhe de cima - a beleza não está apenas na natureza, nas artes e no corpo humano.

            Quem são os seres humanos mais criativos?

Procure imaginar - a criatividade não tem limites.

            Quem são os seres humanos que possuem mais esperança?

Deixe seu coração sentir - a esperança não é privilégio apenas de idosos, pessoas carentes ou acometidas de moléstias.

            Quem são os seres humanos mais crentes?

Veja bem - não procure a fé apenas nas religiões e nas fraternidades.

            Quem são os seres humanos mais fraternos?

Expanda sua visão sobre a vida - fraternidade é muito mais do que laços de sangue ou interesses recíprocos.

            Quem são os seres humanos mais harmoniosos?

Procure entender - harmonia não é apenas concordar.

            Quem são os seres humanos mais honrados?

Veja melhor - a honra ultrapassa os ditames da personalidade.

            Quem são os seres humanos mais inocentes?

Ouça a voz interior - inocência não é privilégio de crianças ou apenas falta de culpa.

            Quem são os seres humanos mais justos?

Não se restrinja - justiça e lei andam lado-a-lado e ultrapassam os limites da condição humana.

            Quem são os seres humanos mais livres?

Use a intuição - a verdadeira liberdade é mais do que emancipação ou ideologias.

            Quem são os seres humanos mais luminosos?

Veja mais longe - a luz é atributo mental e espiritual.

            Quem são os seres humanos mais misericordiosos?

Reconheça a verdadeira fraternidade - a misericórdia não pode ser medida por contribuições financeiras ou filantropia.

            Quem são os seres humanos mais perfeitos?

Vá aos limites de sua imaginação - é preciso fazer um grande esforço para vislumbrar alguns meandros da perfeição.

            Quem são os seres humanos mais íntegros?

Observe e reflita - no plano físico, a geometria nos ensina que a reta é a menor distância entre dois pontos, mas no plano cósmico há caminhos mais rápidos.

            Quem são os seres humanos mais ricos do planeta?  

Deixe a alma falar - o dinheiro nunca foi caminho para a verdadeira riqueza.

            Quem são os seres humanos mais sábios?

Procure conhecer a história dos grandes exemplos - sabedoria tem pouco a ver com diplomas ou conhecimento.

            Quem são os seres humanos mais sublimes?

Ouça o silêncio da alma - a virtude do sublime é mais do que sentimentos e emoções.

            Quem são os seres humanos mais verdadeiros?

O coração bem sabe - a verdade supera a fé e não se deixa possuir.

            Quem são os seres humanos mais vitoriosos?

Acredite - a vitória não pode ser conceituada apenas como êxito ou ato de competir para vencer.

E desta forma chegamos ao final destas considerações. Gostaríamos de conhecer todas as respostas, mas, mesmo não sendo possível, cabe-nos, como seres humanos em constante evolução, buscar sempre o melhor e o mais alto degrau do topo da grande pirâmide. Que assim seja, em nome de Deus!

 

Endonews 95 - 13 de setembro de 2016. 

 

OLIMPÍADA DAS ALMAS - parte 2

Retomamos o tema objeto desta reflexão com o seguinte parágrafo fundamental: "A perfeição só pode almejada pelo esforço incessante e por trabalho incansável, e nada menos do que isto. Nada é impossível, tudo nos é permitido. O mundo é do tamanho dos nossos sonhos!"

Em assim acreditando, e tudo sendo possível desde que queiramos, ficamos à mercê do frustrante sentimento de que se mais não avançamos é porque não o desejamos suficientemente, porque a providência divina coloca em nossas mãos quaisquer possibilidades.

Em que pese a força de atração que nos impele a examinar este assunto, nossa intenção é abrir a janela da imaginação de modo a festejar aqueles que conseguiram ultrapassar seus limites pessoais. Afinal, estamos falando de olimpíada, competição, teste de limites, exaltação de virtudes.

E aqui chegamos ao ponto central, porque passamos da competição física, domínio emocional e intelecto - próprio da personalidade (que atua no mundo físico) - e chegamos ao mundo das almas, cujo campo de ação começa no plano mental superior e se espraia por caminhos ainda mais sutis. Mas, ainda assim, devemos nos ater ao mundo em que vivemos - porque almas somos, também! Aqui começam as modalidades desta fantástica olimpíada.

Por um breve momento, imagine o nosso mundo - belo mundo - com seus 7,1 bilhões de pessoas vivendo experiências incríveis. Enquanto muitos chegam, outros estudam, trabalham e experimentam sensações, e outros tantos, ainda, completam o seu ciclo e nos abandonam todos os dias. É a grande escola da vida proporcionando oportunidades para todos.

Imaginemos, ainda, uma gigantesca pirâmide com a base localizada na Terra (não só o planeta em que vivemos - que é apenas o símbolo das experiências mais diretamente ligadas ao denso plano destinado aos seres humanos) e segue através de uma linha imaginária rumo ao que definimos como céu. Nessa pirâmide se alinham os bilhões de seres humanos - um a um - em incontáveis degraus. Não importa quem são - em quais países nasceram, gênero, cor, idade, posição social, grau cultural ou econômico, saúde ou religião.

Tudo isto pertence ao mundo físico e próprio de personalidades e ideologias, que se aproveitam das aparentes diferenças para promover ainda mais fragmentações. No reino das almas, tudo é diferente, porque ela sabe que o caminho, o único e derradeiro caminho é o da consciência da unidade.

A alma é livre para viver e trabalhar seus limites, eis que o mundo onde vivemos é como um laboratório destinado a separar a fantasia da realidade, a ilusão da verdade. Tendo entendido a lição, descarta tudo o que for pequeno, passageiro, fútil e acessório.

Tendo vivenciado os caminhos do mundo físico, a alma acelera seu entendimento dos propósitos da vida e fica apenas com o que é útil, bom, bonito e eterno. Quanto mais aprende, mais sobe a pirâmide. Quanto mais alto estiver, mais enxergará.

 

(fim da parte 2/3)

 

Endonews 94 - 06 de setembro de 2016. 

OLIMPÍADA DAS ALMAS - parte I

Que razões levam países a fazerem altíssimos investimentos para realizar uma olimpíada? Que impulsos movem atletas de todo o mundo num esforço dramático para competir por melhores tempos e índices? Fraternidade, espírito olímpico, diriam alguns. Financeiros, diriam outros. Mas o que está por detrás de tudo - independentemente do que diz a mídia e das discussões acaloradas sobre os resultados obtidos - é a luta pelos limites do ser humano.

Mesmo que esta fascinante proposição pertença ao oculto e o real significado seja privilégio de mestres, podemos acessar alguns vislumbres através de pequena fresta existente em nossa imaginação, e, entre estes, o da realização de olimpíadas paralelas, desconhecidas de nossa mente finita.

Lembram dos sete princípios herméticos? O segundo deles é conhecido por Princípio da Correspondência, e diz:

"O que está em cima é como o que está embaixo, e o que está embaixo é como o que está em cima."

Este é o fundamento da presente matéria que oferecemos para conhecimento dos estudantes de mente aberta. Embora o princípio fale em "é como", todos sabemos que se trata de figura de retórica, cujo entendimento fica bem mais claro quando substituímos a letra fria por "semelhante, parecido ou correspondente".

Com efeito, se existe uma olimpíada no mundo físico podemos imaginar que haja outra (ou outras) em planos superiores - não nos moldes às que temos conhecimento, mas parecidas ou correspondentes, de modo a premiar a busca da perfeição por todos os seres.

Para melhor entender esta questão, podemos dizer que dois passos são necessários: 1) intentar a jornada, e 2) exercer nossos limites. Há um terceiro passo, mas este nos é vedado, porque está acima da nossa compreensão.

A perfeição só pode almejada pelo esforço incessante e por trabalho incansável, e nada menos do que isto. Afinal, quando temos consciência de que somos apenas grãos de areia no infinito sem fim, tudo muda. Muda, em parte, porque nos sentimos decepcionados com todo o esforço que fazemos - é este sentimento a origem de nossas incertezas, negligências, omissões, ansiedades, frustrações.

No inverno, almejamos o calor, e, no verão, sonhamos com o frio. Na luz, buscamos a proteção da sombra, e, na noite, desejamos ardentemente a luz. No não possuir, desejamos; no ter, buscamos o mistério do desconhecido. Anseios nunca satisfeitos, porque nunca encontramos o objeto de nossas buscas. Quase nunca estamos realmente onde nos encontramos.

Mas também muda porque, muitas vezes, nos sentimos extremamente privilegiados quando aprendemos a confiar em nós mesmos e valorizamos nossas potencialidades. É quando reconhecemos o quanto foi difícil chegar até aqui e, mais ainda, é vislumbrar o quanto nos aguarda mais adiante. Nada é impossível, tudo nos é permitido. O mundo é do tamanho dos nossos sonhos!

Definitivamente, não há tédio no caminho que conduz à perfeição. 

(Fim da primeira parte).

 Endonews 93 - 21 de junho de 2016. 

SEM CASA E SEM DESTINO!

A divulgação do impressionante número de refugiados no ano de 2015 chocou a consciência da humanidade. São 65 milhões de pessoas que não mais possuem um lar ou lugar de referência para voltar e estão caminhando em direção ao desconhecido! Não são apenas mal-vindos, mas vítimas de perseguições, humilhações, violências e incertezas. Mais da metade é composta de crianças e grande parte separada dos pais.

Mais do que apenas um fenômeno migratório, representa também a movimentação de forças étnica, social, cultural, mental oriente/ocidente, diferentemente do que ocorreu durante a escravidão de povos africanos, inclusive para o Brasil. Mesmo que se aborde a questão sob o ponto de vista migratório voluntário, no fundo não deixa de ser uma falsa liberdade, porque essas pessoas estão sendo deslocadas à força de seu habitat original.

Mas quem são eles? Quem está entre eles? Se conseguirem ficar, que contribuições trarão para aqueles que os acolherem? Haverá entre eles bandidos, terroristas ou malfeitores, ou, ao contrário, mártires, santos, iluminados ou mestres?  Questões, dúvidas e incertezas, mas quem pode saber o que nos reserva o futuro, a não ser os senhores da vida, os senhores do carma?

Longas reflexões e meditações nos permitem quando muito observar o presente e vislumbrar o movimento de mestres que jogam o jogo da vida no grande tabuleiro de xadrez da existência. Sim, porque tudo não passa de um grande jogo.

Mesmo que a emoção tome conta de nossos corações ao vermos tantas pessoas sem família e sem destino, dentro de nós existe uma certeza de que tudo não passa de uma grande ilusão, um truque de mestre, e que, ao final, tudo vai dar certo.

Por isto, é preciso ter fé. Duvidar, jamais. É preciso acreditar na providência divina como símbolo perfeito da justiça que nunca falha, apesar de todos os egoísmos e interesses mesquinhos que continuam a pautar o plano físico. Neste nosso estreito mundo mental nada é para sempre, mas no plano da alma tudo é para sempre!

Curiosamente, esses sofredores refugiados não tem princípio nem fim e andam de um lado para outro, em busca de um porto seguro. Mas, diferentemente deles, nós, que nos alegramos nos ensinamentos da espiritualidade consciente, exaltamos a graça recebida: temos um princípio (Endo) e um fim (Ismo) -somos nós que criamos o nosso próprio destino!

 Que o amor que anima toda fraternidade possa nos fazer compartilhar

 

com todos os refugiados da vida as bençãos do despertar da consciência!

 

Endonews 92 - 30 de agosto de 2016. 

O TEMPERO DA VIDA

O segredo do bom alimento está na mistura harmoniosa de sal e açúcar. O alimento doce contem uma pitada de sal, o alimento salgado contem uma pequena dose de açúcar.

Os antigos chineses, em sua sabedoria milenar, sintetizaram o segredo dessa equação através do símbolo do Tao - o yin e o yang, a perfeita união do positivo com o negativo, o princípio ativo ou masculino com a sua contraparte passiva ou feminina.  Um não existe sem o outro.

Nenhum homem é uma ilha isolada, dizia Ernest Hemingway, o grande escritor norte-americano, prêmio Nobel de Literatura; nenhum bônus existe sem ônus, não se cansa de enfatizar uma médica chinesa. Esta harmonia, para nós, simboliza o tempero da vida, e a compreensão de sua essência enseja à mente expandir seu raio de ação e compreensão dos mistérios da existência.

Em outras palavras, aceitar situações que muitas vezes conceituamos como negativas ou contrariedades que nos trazem aborrecimentos é tão importante quanto prezar os bons momentos, as alegrias e o sucesso. Entender problemas de saúde como fator de desarmonias, e não apenas exorcizar sentimentos de amarguras, é tão sábio quanto viver plenamente.

Às vezes, o fantasma não é tão feio quanto parece. Sob a ótica dos ensinamentos espirituais, não podemos esquecer que todas as experiências obtidas pelos seres humanos em sua jornada pelos caminhos deste mundo é creditada à majestosa inteligência da qual todos fazemos parte. Então, é preciso ir mais adiante e perguntar: “Por que tantos se queixam tanto? Por que tantos vivem a reclamar de eventuais problemas, se a derradeira dor, sofrimento e amargura pertence a uma inteligência maior? Por que tantos são tão ingratos?”

Reflexões, e nada mais. Cada um faz o seu próprio alimento e deve conhecer exatamente os ingredientes e a porção adequada para produzir o bem, o belo, o prazeroso, o verdadeiro, o divino no caminho por onde anda. Viva a vida!

 

 

Endonews 92 - 12 de  julho de 2016.

 O TEMPLO DIVINO

Aqui se aprimora ideias

Aqui se forja pensamentos

Aqui se edifica fundamentos.

 

No templo divino, se molda personalidades

Se mostra o sentido

Se educa mentes.

 

Aqui se conduz almas

Aqui se liberta seres

Aqui se incentiva a fraternidade.

 

 

No templo divino, se vislumbra a verdade

Se anima a esperança

Se enaltece virtudes.

 

Aqui se enobrece sentimentos

Aqui se lapida ações

Aqui se corrige imperfeições

 

 

No templo divino, se sugere renovações

Se trabalha a musicalidade

Se cultiva sonhos.

 

Aqui se planeja o futuro

Aqui se arquiteta projetos

Aqui se constrói obras.

 

 

No templo divino, se perfuma o caminho

Se dignifica a vida

Se cultua a luz.

 

No templo divino, se gera amor

Se exalta a síntese

Se louva a glória divina

E se glorifica a unidade!

 

 

 

 

Endonews 90 - 30 de maio de 2016. 

UM DIA, DISSE O MESTRE . . .

 - Um dia vós também ireis perceber o progresso conquistado por mérito individual de cada pessoa, uma linha tênue que só pode ser vislumbrada pelos olhos das águias espirituais. Então, vós ireis entender a diferença que existe entre

 

teoria e prática

conhecimento e sabedoria

saber e ser

encontrar o caminho e conhecer o caminho

conhecer o caminho e percorrer o caminho

pensar ser e tornar-se.

* * *

Disse o mestre:

- Quem sabe não precisa convencer. Quem é não precisa provar.

 

 

Endonews 89 - 26 de abril de 2016.

É PRECISO SE PERDER

               Sete são os planos da manifestação em nosso universo. A saber:

 1 - Vontade e poder

 2 - Sabedoria e amor

 3 - Inteligência e ação

 4 - Psíquico - harmonia e beleza

 5 - Mental - concreto e abstrato

 6 - Emocional e devocional

 7 - Físico

             Os planos 1, 2 e 3 pertencem ao divino; os planos 5, 6 e 7 compreendem o plano concreto, enquanto o quarto estabelece a ligação entre o divino e a material.

             Podemos conjeturar que a humanidade vive basicamente no plano físico concreto, muito embora milhões e milhões de pessoas consigam alcançar planos mais elevados, notadamente até o terceiro degrau (inteligência e ação). Poucos vislumbram a sabedoria e o amor do segundo plano. O primeiro plano é vedado à humanidade, já que faz parte da esfera imaginativa a partir dos grandes mestres que não mais pertencem a este universo encarnado.

             Não é nossa intenção, neste momento, abordar mais explicitamente características de cada plano, mas sim considerar que, ao termos a consciência focada apenas no mundo físico, a mente trabalha o intelecto, a lógica e a razão, deixando de lado prioridades da alma ao viajar pelos belos e fundamentais caminhos de aprendizado deste mundo de tantas belezas.

             Esta é a razão pela qual somos tão sensoriais e gostemos tanto de emoções, devoções e sensações, prescindindo de infinitas possibilidades que nos são disponibilizadas cotidianamente. Em outras palavras, é muito seguro e confortável contentar-se apenas com o fácil, o conhecido e o dominado.

             Por que contentar-se com tão pouco? Por que não perder-se? Os temores e os medos do desconhecido via de regra são fantasmas que limitam nosso território mental e prejudicam nosso desenvolvimento rumo ao eterno. No caminho espiritual, dizem os ensinamentos do Endoismo, é preciso perder-se para semear novas oportunidades que abrem janelas da alma e deixam presumir portas que levam ao divino. Luz dourada em sua vida! 

  

Endonews 87 - 14 de março de 2016.

O HOMEM SOLAR

     No cosmo, todas as estruturas giram em torno de sistemas. Um sistema solar compreende um conjunto constituído pela estrela maior e todos os corpos celestes que estão sob o seu domínio de gravidade, ou seja, estão no seu campo de atração gravitacional.

     Esses corpos descrevem trajetórias ao redor do poder central, constituindo-se, portanto, em sistema dinâmico onde todos os corpos estão em constante e mútua interação. Os planetas giram em torno de estrelas, os satélites giram em torno de planetas. Assim como a Terra é um planeta que gira em torno do Sol, a Lua é um satélite que gira em torno da Terra.

     Uma estrela possui luz própria, mas um planeta, não. Em nosso sistema solar, o Sol é a estrela mãe e pai não só da Terra como também de todos os demais planetas que fazem parte do sistema. Tudo o que está dentro do sistema solar – desde o menor átomo até um planeta, passando naturalmente pelo ser humano – é uma réplica fiel do próprio sistema.

     Em consequência, toda e qualquer manifestação física dentro do sistema solar opera através das qualidades de luz, calor, força e energia. Meditando no Sol o ser humano aprende a ter consciência de sua condição divina através dos atributos sagrados, também chamados de virtudes.  10 são os atributos sagrados: Abundância, Ação, Amor, Beleza, Criação, Poder, Lei, Renovação, Sabedoria e Unidade. Os nove primeiros possuem ressonância concreta, isto é, são manuseados em nosso cotidiano, enquanto que a décima virtude, a Unidade, por ser intangível para os nossos padrões, só pode ser trabalhada através do plano da imaginação.

     O ser humano possui dentro de si todas as virtudes, mas para acelerar sua jornada evolutiva precisa desenvolver a capacidade de trabalhar cada uma delas de modo a despertar a consciência cósmica. E este é um desafio diário. Refletindo e meditando a partir de elementos concretos é possível até mesmo vislumbrar a presença divina neste plano, já que esse método, por ser menos abstrato, torna  tudo mais real e acessível.

     Essa idéia enseja uma aproximação do mais elevado com o mundo físico, do espírito com a matéria, do interior com o exterior, da essência com a forma. Em suma, ajuda o indivíduo a compreender melhor seu papel na vida e identificar objetivos maiores, já que abre as portas do chamado templo interno e permite que sua personalidade viva em harmonia com sua alma. Com isto, é possível percorrer o caminho com muito mais consciência.

FESTA DOS MESTRES - EQUINÓCIO DE OUTONO

A Festa dos Mestres em homenagem à passagem do equinócio de outono

será realizada no dia 22.03, terça-feira, a partir das 19h30min.

Em Ti, por Ti, pra Ti!

 

 

Endonews 86 - 08.02.2016.

CAMINHAR FAZ O CAMINHO

Ao caminhar, descubro meu caminho.

     Por mais que alguns dias amanheçam sombrios e que haja ansiedade no coração; por mais que haja aflição pelas coisas não realizadas, pelos sonhos que podem nunca se concretizar ou pelas circunstâncias que, às vezes, nos fazem padecer, ainda assim nada é tão forte, tão definido, tão verdadeiro e tão derradeiro quanto continuar caminhando em busca do desconhecido.

     Percorrer as trilhas do destino, identificar os sinais que vem do céu, tentar entender os motivos da natureza, refletir sobre a infinidade de mundos paralelos que nos rodeiam, podem nos ajudar a crescer no entendimento das coisas da vida e dos motivos que nos trouxeram a este mundo cheio de surpresas.

     Nosso destino é despertar a consciência de que na Terra somos deuses encarnados em um corpo físico e no céu somos homens vivendo a eternidade. Descobrimos, então, que somos metade homens e metade deuses.

     Nem sempre é fácil, nem sempre é da maneira que gostaríamos que fosse. Entretanto, é certo, absolutamente certo, que, caminhando, vamos aprendendo a conhecer o caminho. Portanto, é preciso seguir em frente, com os olhos fixos no infinito, nos objetivos escolhidos por nossa consciência para exercermos da melhor maneira possível o papel que nos cabe no drama cósmico da vida.

     A alma precisa fazer a sua parte, sozinha ou acompanhada, dentro ou fora, no silêncio da noite ou no agito dos dias ensolarados, entender a solidão que parece perturbar a vida de muitas pessoas, descobrir as belezas do caminho, gozar o mistério de cada momento.

     E assim, desta forma, podemos escolher o que mais nos atrai, seduz e fascina. Não há limites que impeçam a alma de cumprir a missão que lhe foi atribuída pelos caprichos celestiais. Ela pode optar por qualquer uma dentre tantas maravilhas deste mundo finito a fim de dar vida ao sonho divino que carrega em seu ventre.

Um simples momento pode ser o start para acordar da grande ilusão.

Cada dia pode ser o embrião de um novo sonho.

Um sonho pode ser o milagre que faz a alma despertar para a sua eterna realidade.

Em Deus, com Deus e para Deus!

 

Endonews 85 - 22 de janeiro de 2016.

A QUARTA REVOLUÇÃO

   Em nossas reflexões e meditações naturalmente inserimos temas da atualidade que têm por objetivo não só despertar interesse quanto aprofundar a consciência acerca da visão que temos - como estudiosos das coisas espirituais - do mundo em que vivemos, do papel que nos cabe representar no drama da vida e, sobretudo, aprofundar a sintonia entre individualidade e personalidade.

   Com efeito, se a alma é o canal de expressão do íntimo, nossa presença no mundo físico se processa através da personalidade. Não é demais lembrar que personalidade deriva do latim persona, que significa máscara, de onde podemos afirmar com a mais absoluta segurança que a verdade só pode se manifestar pela retirada do véu que encobre o íntimo. Isto nos remete ao fato de que precisamos  trabalhar constantemente pela unidade de todos os seres, mas, ainda mais, pela nossa e particular unidade. Despertar a consciência cósmica representa uma verdadeira revolução.

   O Fórum Econômico Mundial de 2016 aborda essa questão de forma genérica, qual seja, a nível coletivo/social, em escala global, ao mencionar as três grandes revoluções industriais já ocorridas:

1a. - o aparecimento da máquina a vapor.

2a. - o domínio da eletricidade e da cadeia de montagem.

3a. - o surgimento da eletrônica e da robótica.

   O mais interessante, porém, é o principal tema em debate - o surgimento da quarta revolução industrial, que deve ser a síntese de inúmeros fatores, denominada de a internet de objetosou big data de transformação da economia global.

   Muito bem. Além da informação, além do debate e muito além do surgimento - quem sabe - de uma correção de rumo da economia mundial que vai afetar toda a humanidade, o tema tem muito pouco a ver conosco, a não ser louvar o fato de que mais uma vez cientistas e pensadores se preocupam consideravelmente com temas pertinentes ao nosso futuro.

   Para os que se deleitam na abordagem das coisas espirituais, o Fórum serve como base para estimular as nossas reflexões de que é preciso fazer alguma coisa hoje para que tenhamos o futuro que almejamos. Sim, com efeito, se você quiser projetar o seu futuro comece hoje mesmo!

   No silêncio do nosso templo interno, no altar onde a alma olha diretamente nos olhos do mestre interno, podemos explorar o estágio de revolução interna no qual estamos.

   Nos agitados dias de nossa época, gostamos de rotular tudo e todos, de onde podemos dizer que acordar, mudar, renovar, crescer, transformar, sintonizar, despertar, agir, tornar-se, ser, pode não ser a quinta revolução, mas com certeza é a primeira e talvez única maneira de mudar a nós mesmos e o mundo em que vivemos.

Em Deus, com Deus e para Deus! 

 

Endonews 84 - 30 de dezembro de 2015.

VERDE ESPERANÇA!

Ao caminhar, descobrimos o nosso caminho. Pés no chão, olhos mirando o infinito, vontade de avançar sem nunca recuar, entusiasmo inabalável para atingirmos nossos objetivos, alegria na alma, é preciso seguir em direção ao infinito, contemplando as estrelas que cintilam no céu durante a noite ou simplesmente adorando, bebendo e comendo sol durante o dia.

Devemos viver de esperança, amor e fé, o maná sagrado que alimenta todas as almas. Com certeza, mesmo que ainda não tenhamos absoluta clareza de nossos propósitos, todos nós seguimos em busca de um sonho, em busca de nós mesmos, em busca da Unidade!

É na virada do ano que os mestres recolhem da humanidade a substância verde da esperança para oferecer ao Cosmos o melhor de todos os seres humanos. Dizem as lendas que os mestres fazem um grande retiro espiritual em Sirius, o sol do nosso sol, no período compreendido entre as festas da Esperança (31/12) e Caridade (06/1), quando voltam com as metas estabelecidas pela hierarquia espiritual para o próximo ano.

Pois é exatamente no fim de mais um ano físico que podemos fazer um profundo e sincero balanço de nossa jornada pelos caminhos da vida para sabermos a quantas andamos. Porém, mais do que simplesmente ficarmos pensando em nossos problemas e/ou conquistas de ordem individual e familiar, é nosso dever aproveitar esse momento especial para contribuir com o que temos de melhor dentro de nós para o bem geral de todos os nossos irmãos.

Podemos, então, fazer uma prece sincera em favor dos que estão fragilizados de saúde, dos que precisam de esperança, dos que estão carentes de afeto, dos que estão amargurados por sentimentos de culpa, dos que foram brutalizados por condições adversas, dos que esqueceram de agradecer o milagre de estarem vivos. Sem perguntas. Sem remorsos. Sem cobranças.

Bem sabemos que nada acontece por acaso e que não existe infortúnio, mas o que importa realmente é o sentimento de fraternidade que nos une como irmãos de humanidade e nos faz melhores quando envolvemos outras pessoas com a chama rosa do amor divino.

Nestes dias de prazer e diversão, que lembremos de fazer a nossa parte e sintonizar a chama verde da esperança para alegrar os olhos de todos os mestres.

Em Deus, com Deus e para Deus!

 

Endonews 83 - 18 de dezembro de 2015.

2015 - QUE ANO GLORIOSO!

            Há os que acreditam e há os que não acreditam. Há os que se divertem e há os que debocham. Em toda parte, há os sonhadores e os pragmáticos. Há os que esperam e há os que são esperados. Talvez, às vezes, sejamos exigentes demais em certas situações. A verdade é que nada está errado, mas, ao contrário, tudo está certo. O mais importante de tudo é compreender que todos terão a sua vez e a sua oportunidade.

            Se um sonho seu chegou, aproveite cada minuto, cada oportunidade, e procure absorver a essência desse momento. Se ainda não foi possível torná-lo realidade, não se preocupe, porque tudo tem o seu tempo certo para despertar e florescer. Na escola do Endoismo dizemos que sua alma é que determina o momento mais adequado para acontecer e fazer acontecer.

            Convidamos você para não se deixar influenciar por profetas das negatividades e pelas emoções de contumazes tragédias para não contaminar o entusiasmo e a esperança num mundo melhor, virtudes que devem pautar nossas ações.

            Aproveite as boas energias de fim de ano para reforçar a sua crença na vida e reafirmar a sua fé nos mais nobres valores.

            Nossa mais sincera gratidão pela oportunidade de ler e/ou repassar nossas mensagens. Se a Unidade Divina assim o permitir, estaremos juntos em outras oportunidades.

Em Deus, com Deus e para Deus!

 

Endonews 82 - 03 de dezembro de 2015.

     EU AMO O SOL.

     EU AMO A TERRA.

     EU AMO A ALEGRIA.

     EU AMO A ESPERANÇA.

     EU AMO O AMOR.

     EU AMO A FRATERNIDADE.

     EU AMO A ABUNDÂNCIA.

     EU AMO A PROSPERIDADE.

     EU AMO A RIQUEZA.

     EU AMO A VIDA!

* * *

Um discípulo pediu ao mestre para explicar-lhe o que era a verdade, ao que o mestre respondeu:

- Tudo o que eu disser será inútil, a menos que teu coração te ensine.

 

Já outro discípulo pediu ao mestre para mostrar-lhe o caminho, ao que o mestre respondeu:

- Entra para dentro. 

 

Que pobre tolo tenho sido. Estava sob a ilusão de que tudo era ilusão

e hoje vejo que é a mais pura realidade, a realidade da grande Unidade.

 

* * *

Neste final de ano, muita luz dourada para todo o universo!

 

 

Endonews 81 -  07.10.2015

MEDOS E ESPERANÇAS

Um dos principais fatores de angústia da alma tem fundamento no medo, mas o inverso também é verdadeiro. Qual seja, o medo é um dos principais fatores de estagnação e atraso da jornada rumo à verdadeira liberdade. Angústia, ansiedade, temor, covardia, pânico, são mais do que apenas sinônimos de medo. São estados de impotência diante de certos acontecimentos. Seguramente, podemos falar em falta de fé.

Mais do que nunca, em algumas cidades, locais e circunstâncias, o sentimento de medo amortece e paralisa, aborta sonhos legítimos, impede boas intenções e torna o ser humano vítima de seus próprios fantasmas. Desta forma, podemos alinhavar três importantes fatores na compreensão dos vícios (os irmãos sombrios das virtudes): 1 - tempo; 2 - espaço; 3 - estado de consciência da pessoa.

Temos medo do presente. Medo do futuro. Medo de doenças. Medo de envelhecer. Medo de ser assaltado. Medo de perder o emprego. Medo de não ter dinheiro para suprir necessidades. Medo de perder alguém. Medo de não ser reconhecido. Medo de ser rejeitado. Medo de não ser amado. Medo de amar. Medo de se entregar. Medo de morrer. Medo de viver. Em certas circunstâncias, temos até medo de sermos felizes.

Por mais singelo que seja, eis o cerne do problema - medo de viver!

É bem verdade que muitas instituições e ideologias se encarregam de fazer terrorismo e que muitos meios de informação são canais de venda desse produto tóxico, no intento de aliciar despreparados e realizar lucros, mas a bem da verdade pode-se até mesmo dizer que são apenas semeadores de vícios.

No grau em que nos encontramos, difícil é distinguir o real da fantasia, o palavreado fácil dos vendedores de ilusão que se contrapõe ao sonho da alma, que é encontrar o significado de nossa breve passagem por este mundo finito. Difícil é estar atento quando são tantos os apelos emocionados. Difícil é ter coragem para enfrentar a grande onda.

Mas é uma benção acordar cada santo dia e ver o ver o Sol iluminar todos os quadrantes, tentar entender a linguagem incompreensível das ondas do mar, compartilhar sentimentos escondidos com o silêncio da estrelas cintilando no céu azul, prestar atenção ao canto rebelde do vento e maravilhar-se com a força irresistível da esperança.

Todo dia, em algum lugar, alguém parte o nosso coração, mas eis que um sorriso qualquer alegra a alma e um simples gesto encanta os nossos olhos. A vida nunca se entrega, porque ela está acima de tudo e de todos. Veio antes de nós e continuará depois. Jamais se deixa enganar ou vencer.

Mas, então, qual seria mesmo o papel que nos cabe no drama da existência? Vencer o medo! Deixar a vida fluir como um rio que jorra em busca do mar. Aprender a voar com os jovens pássaros. Admirar o céu, abraçar a Terra. Aquietar a mente, serenar as emoções e silenciar a boca, como fazem os mestres de si mesmos. Amar a vida. Semear a esperança de um mundo mais luminoso. Cultuar a liberdade. Reconhecer o divino presente em nós e em todos os seres. Aprender a despertar a consciência da grande Unidade.

Luz dourada para todos!

 

Endonews 80 - 04 de setembro de 2015.

ESPERANDO A PRIMAVERA

Eis que setembro chega e com ele a esperança de momentos mais exuberantes, porque em poucos dias estaremos na primavera, a estação tão esperada, depois dos cinzentos dias de inverno. Isto é que diz a natureza e a história, mas quem não lembrará do inverno de 2015 (no hemisfério sul) - atípico, pouco frio e muitos dias ensolarados?

Para a natureza, também vale comparações com o modelo humano de vida. Sair, viajar, trocar energias, ver coisas novas, alegrar os olhos, tudo vale a pena. Quando tivermos esgotado nossos interesses no gozo das delícias da vida, voltar também é bom, porque o nosso particular mundo nos espera.

Quando partimos, ele se torna vulnerável, frágil e menos alegre, porque falta um pedaço. Esse pedaço somos nós. Quando retornamos, os fragmentos são reunidos por impulso da lei da atração. Tudo se encaixa, o círculo se fecha. Tudo volta ao normal, porque, no fundo, tudo é como uma sucessão de idas e vindas, partidas e chegadas, começos e recomeços. Levamos no coração a energia dos que nos são queridos e voltamos com recordações. É como agradecer ao inverno e dar as boas vindas à primavera. A vida é mágica! Como não se maravilhar com essa magia?

 

Endonews 79 - 13.08.2015

E AÍ,TUDO BEM COM SUA VIDA?

            E aí, tudo bem com sua vida? Há muitas coisas que gostaríamos de fazer, mas, ou não conseguimos ou - ao meditar - terminamos achando que não valem a pena. Você bem sabe o quanto o Endoismo (e outras sociedades) tem procurado desenvolver o melhor de cada pessoa, isto é, despertar a consciência latente, potencializada em nós mesmos. Entretanto, o desenvolvimento é lento.

            É lento, mas gradativo, animando a esperança, aquecendo sempre o sonho. Então, julgamos que o melhor para nós é simplesmente fazermos a nossa parte, dando a cada pessoa (como se tivéssemos esse poder) a oportunidade da escolha de seguir o seu caminho de forma independente e por seu próprio livre-arbítrio. Isto, em outras palavras, é reconhecer que cada ser humano é uma célula solarina e divina.

            Cada ser humano despertará no tempo certo, no local certo. É como sementes que só brotam quando chegar a hora e se todos os componentes naturais estiverem trabalhando juntos esperando o momento mágico. De repente, acontece o milagre!

            Para uns, o momento pode demorar, para outros, porém, o momento já chegou. Se for este o nosso destino, tanto melhor, mas não sabemos nem podemos ter a pretensão de que sabemos mais ou estamos preparados para enfrentarmos a grande mudança agora mesmo. A chegada da luz requer intensas mudanças, renovação, deixar para trás muitos apegos.

* * *

À sucessão de destruições e construções, mortes e nascimentos, partidas e chegadas, perdas e ganhos, amarguras e alegrias chamamos de vida! Para o Endoismo, Deus é renovação e criação, simultaneamente, constantemente, eternamente presente em nossas vidas. Por esta razão, precisamos ter a coragem de nos desfazer do que está enraizado em nós (laços) para abrir novos caminhos, mesmo que isto represente passar pelas dificuldades acima. Há coisas que se infiltram sutilmente em nosso subconsciente e depois se tornam concreto. Destruir o velho é abrir caminho para o novo. Luz dourada!

 

Endonews 78 - 19.06.2015

CÂMARA DE REFLEXÕES — A PASSAGEM

  Aquele que tiver paciência para enfrentar situações incômodas

  Aquele que for capaz de resistir ao desafio das tentações

  Aquele que tiver humildade para deixar a torrente das adversidades seguir o seu curso necessário

  Aquele que souber ser tolerante diante da beligerância

  Aquele que cultivar a serenidade diante da torrente de agitações emocionais

  Aquele que for resistente aos modismos dos falsos brilhantes

  Aquele que conseguir abstrair-se do palavreado fácil de pseudo-filosofias

  Aquele que compreender o papel que lhe compete no finito de sua existência

  Aquele que ultrapassar os limites do mundo que o cerca

  Aquele que tiver sabedoria para aceitar que ele é apenas um grão-de-sal na vastidão do universo

  Aquele que for capaz de entender que tudo não passa de uma grande ilusão,

   Este, meu irmão, terá vencido as provas da câmara de reflexões da vida. Terá compreendido que este plano não é apenas uma miragem, mas também uma passagem. Poderá, então, vislumbrar o portal que dá acesso ao mundo divino e seguir resoluto em direção à eternidade.

* * *

NATAL DOS MESTRES

O Natal dos Mestres deste ano será realizado no dia 23.06.2015, terça-feira,às 19:30h, com entrada franca. Após a cerimônia em homenagem aos mestres será realizado ágape de confraternização, para o qual é indispensável fazer inscrição. 

Todo natal é de inverno, seja em que hemisfério for - norte (dezembro), ou sul (junho). Essa data (astrológica) simboliza o nascimento do Cristo, a vitória da luz depois do longo período de densidade. IN (dentro, interior) VER (ver, olhar, refletir, meditar) NO (indica a direção) - eis o verdadeiro simbolismo do solstício de inverno. Esse dia marca o afastamento máximo da Terra do Sol, razão pela qual a partir dela nosso planeta começa a retornar ao Sol, à luz, ao calor, à verdade, à Unidade!

Portanto, é um momento único e sublime, digno de ser festejado.

Viva Deus!

 

 

Endonews 77 - 08.06.2015

VOCÊ PODE. VOCÊ PODE?

     Há poucos dias, o zoólogo Richard Dawkins, convidado do evento Fronteiras do Pensamento, disse que “a religião é como um vírus de computador que se instala no cérebro com a instrução de apenas se replicar com o passar das gerações. A religião, ao longo de eras, se aproveitou de boas características da psicologia humana como a obediência, confiança e disciplina para continuar existindo. Questionado se era 100% ateu, Dawkins disse que em uma escala de 1 (totalmente crente) a 7 (totalmente ateu) estaria na posição 6 (ou 6,9) já que não seria possível a um cientista sério provar que algo não existe”. Deus, para ele, está na mesma categoria que fadas, goblins ou o Monstro de Espaguete Voador.

     O texto abaixo é tão somente uma reflexão sobre o tema abordado pelo cientista inglês, sem nenhuma intenção de replicar ou provocar um imaginário debate. O livre-arbítrio é um dom sagrado. Deus não precisa de advogado de defesa.

            Há poucos dias, o zoólogo Richard Dawkins, convidado do evento Fronteiras do Pensamento, disse que “a religião é como um vírus de computador que se instala no cérebro com a instrução de apenas se replicar com o passar das gerações. A religião, ao longo de eras, se aproveitou de boas características da psicologia humana como a obediência, confiança e disciplina para continuar existindo. Questionado se era 100% ateu, Dawkins disse que em uma escala de 1 (totalmente crente) a 7 (totalmente ateu) estaria na posição 6 (ou 6,9) já que não seria possível a um cientista sério provar que algo não existe”. Deus, para ele, está na mesma categoria que fadas, goblins ou o Monstro de Espaguete Voador.

            O texto abaixo é tão somente uma reflexão sobre o tema abordado pelo cientista inglês, sem nenhuma intenção de replicar ou provocar um imaginário debate. O livre-arbítrio é um dom sagrado. Deus não precisa de advogado de defesa.

Você pode fechar os olhos para não ver.

Você pode tapar os ouvidos para não ouvir.

Você pode atravessar a rua para não enfrentar problemas.

Você pode dizer que algumas pessoas são dependentes, ingênuas ou frágeis demais para encarar as vicissitudes do cotidiano.

Você pode ser tão corajoso ou forte que não precise de ninguém para viver.

Você pode ser tão inteligente que não aceite sugestões ou argumentos.

Você pode ser tão observador que nada lhe escape.

Você pode ser tão imaginativo que sua mente viaje pelo infinito sem fim.

Você pode ser tão soberbo que suas crenças choquem o seu mundo e o seu tempo.

     E daí?

Alguns pedem e outros dão.

Alguns são ativos e outros são passivos.

Alguns são positivos e outros são negativos.

Alguns conquistam e outros são conquistados.

Alguns perguntam e outros respondem.

Alguns amam e outros são amados.

Alguns chegaram ao topo, mas outros continuam no sopé da montanha.

     Então, meu amigo, você não poderá dizer que todas as perguntas já foram feitas.

     Então, você não poderá dizer que tem todas as respostas.

     Então, você não poderá dizer que tem 100% de certeza.

     Então, você não poderá dizer que não teve uma chance de me conhecer.

     Então, não poderá dizer que eu não existo.

 

 

Endonews 76 - 26.05.2015

O QUE FAZER PARA SER FELIZ

   O tema da felicidade é e sempre foi objeto de interesse especial para todos, de vez que vivemos nossa vida alternando momentos felizes e acontecimentos fora do padrão que gostaríamos tivesse nossa breve passagem por este plano físico.

   Com efeito, aqueles que melhor compreendem os motivos pelos quais estamos matriculados na escola da vida são os que se adaptam com mais facilidade, enfrentam desafios de peito aberto e aceitam ruídos com mais tranqüilidade. Por isto, quando sopra o vento da sorte vivem intensamente.

   Com tantos conflitos sendo anunciados diariamente e, consequente envolvimento emocional de nossa parte – até mesmo com aqueles que não nos dizem respeito diretamente – é absolutamente necessário criar uma rede protetora interna, de modo a filtrar toda energia que chega através de nossos sentidos.

   De nossa parte, somos bastante otimistas em relação a esse tema, pois acreditamos que haja mais pessoas felizes do que podemos imaginar, embora, é claro, vivamos momentos complicados nos quais queixar-se de frustrações, conflitos e lições parece preencher a falta de rumo de muitas almas. A Terra é uma escola na qual aprendemos lições e laboratório quando colocamos em prática os ensinamentos aprendidos.

   É bem verdade que muitas instituições – religiosas, filosóficas, econômicas ou políticas – às vezes, mais complicam do ajudam a entender o significado da vida. E qual seria esse segredo tão procurado, debatido, mas raramente encontrado? Viver! A vida é para ser vivida. Menos teoria e mais prática.

   Para vislumbrar o grau de felicidade de uma pessoa é preciso identificar o seu engajamento ético, moral, mental e espiritual, porque, definitivamente, sua maneira de ser não pode ficar restrita a valores particulares – é preciso desenvolver uma consciência cósmica que contemple a fraternidade, a preocupação com o mundo no qual vivemos, um objetivo que seja muito mais grupal do que individual, muito mais cósmico do que finito.

   Quão difícil parece ser o esforço para desenvolver a idéia da unidade quando o egoísmo se torna mais valioso do que viver a grande aventura do todo! Entretanto, podemos fazer mais, sim, muito mais do simplesmente ficar à espera de alguma solução caída do céu.

   Mais do que trabalhar, ainda, é preciso desenvolver a consciência de que viver para o todo é o primeiro e mais importante passo a ser dado. Antes de qualquer qualificação, grau, gênero, número, cor, patamar na escala social ou econômica, somos seres humanos, e antes, ainda, somos almas.

 

Endonews 75 - 05.05.2015

700 MÚSICAS ENDOISTAS!

     Nossa gratidão a todos os que acreditaram no sonho de um mundo melhor e nos acompanharam nestes 12 anos de música oferecida à hierarquia espiritual.

   700 músicas próprias — cantadas ou instrumentais, todas elas gravadas e compartilhadas gratuitamente através de cds e da nossa rádio Unidade Divina.  Viva Deus! 

Endonews 74 - 15.04.2015

A INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL E OS NOVOS PROMETEUS

           Para nossa surpresa, todos os dias cientistas e pesquisadores divulgam descobertas e avanços que nos deixam cada vez mais espantados e maravilhados com as potencialidades inesgotáveis da mente humana. A ciência progride de forma extraordinária em busca de respostas e molda o mundo físico segundo a grandeza de sua ousadia. Tão logo conquista uma situação, a humanidade se depara frente a um novo desafio.

     A ânsia de conhecer, dominar e conquistar impulsiona a mente em direção ao futuro. Nada obstante o abismo que separa povos, grupos e pessoas, ainda assim todos ganham, porque ninguém fica de fora. É só uma questão de tempo e de paciência. Do ponto de vista espiritual, precisamos considerar que a natureza brinca com o delírio dos que pretendem se apossar das riquezas da natureza só para si.

     Uma das questões mais polêmicas dos últimos tempos, diz respeito às chamadas inteligências artificiais (denominadas pela comunidade científica como AI). Com efeito, os cientistas já trabalham ativamente em quatro frentes de produção de inteligências artificiais: robôs, impressoras 3D, automóveis sem motoristas e drones, já sendo estes últimos utilizados para fins militares nas guerras do Oriente médio, com intenso poder de precisão e destruição, tanto de instituições materiais quanto de vidas humanas. A questão mais preocupante, porém, diz respeito à possibilidade de as “AI” adquirirem vida própria, isto é, serem capazes de tomar suaspróprias decisões, independentemente da participação humana, e um dia, talvez, se rebelarem contra os seus criadores.

     Realmente, é um grande avanço tecnológico, porque torna o homem cada vez mais criador, e daí a polêmica em torno da paternidade e a conseqüente responsabilidade sobre o uso que alguns poderão fazer de suas criações. Embora a ciência trabalhe fundamentalmente com base na lógica, os estudiosos da ciência espiritual ainda adicionam um novo tempero ao debate, mas agora de cunho histórico/mitológico - Prometeu!

     Figura mitológica, Prometeu era um titã que se rebelou contra os deuses e deu ao ser humano uma centelha do fogo divino. Era, portanto, um portador do fogo sagrado que libertou a humanidade, dando-lhe inteligência e despertar da consciência. Ungido pelo fogo divino, o homem adquiriu vida própria e independente dos deuses, passando a reger seu próprio destino.

     Resguardadas as devidas proporções, podemos considerar que é exatamente isto que os cientistas estão fazendo. Dando vida própria a inteligências criadas pelo próprio ser humano, ou seja, tornando-se um deus cada vez mais criador - um novo Prometeu. O tema faz refletir sobre o sentido da vida e o papel que nos cabe no mundo em que vivemos, porque temos muito para aprender e pouco tempo para acompanhar a velocidade de visionários e mestres.

* * *

Saudações fraternais. Luz dourada para todos!

 

Endonews 73 - 30.03.2015

DOCE MISTÉRIO - O ESSENCIAL

Todos nós sabemos que existe um milagre, um doce mistério que encanta os olhos e guia os nossos passos por toda a jornada. É o milagre da vida!  É este milagre que faz a roda da fortuna girar e os sonhos se renovarem todos os dias, todos os momentos.

E não importam quantas dificuldades ou quantos são os problemas da vida moderna, porque ainda existem coisas que fascinam os olhos da alma. Sensibilidade, encantamento, arte, ciência, dignidade, amor, fraternidade, sonho, para onde a nossa atenção é atraída lá poderemos encontrar a essência que perfuma a vida.

Às vezes, queremos tanto, que, ao exigirmos demais, perdemos pessoas, coisas e momentos que não podemos possuir, pois que, em realidade, tudo podemos aproveitar dentro das regras do jogo sem que tenhamos o direito de aprisionar quem ou o que deve ser livre.

O mais importante de tudo é encontrar o eixo central que faz o sonho girar, não só entendendo profundamente a essência que faz de cada pessoa um ser único, insubstituível, mas também livrar-se das partes não essenciais, das bijuterias e acessórios que turvam a mente. O amor demais sufoca e, quantas vezes, deixa de ser amor para tornar-se egoísmo. Na dúvida, fique apenas com o essencial, porque o acessório segue o principal.

 

Endonews 72 - 06.03.2015

CONHECER OU PERCORRER O CAMINHO?

Sempre há frases, pensamentos ou idéias no burburinho das multidões ou no turbilhão de informações que nos bombardeiam todos os dias, que se encaixam como luva nos ensinamentos espirituais. Sempre lembrando que o Endoismo considera irrelevantes as rotulações que se fazem entre matéria e espírito, definindo-os como mundos separados, porque isto se deve unicamente às nossas fronteiras mentais.

Uma  dessas frases faz parte do roteiro do filme Matrix, sucesso no mundo inteiro: “Cedo ou tarde você descobrirá a diferença entre conhecer o caminho e percorrer o caminho”. Conhecer ou percorrer, eis o cerne da questão!

Precisamos, evidentemente, apresentar os argumentos de forma a entender melhor a questão, porquanto a diferença não é tão clara quanto gostaríamos que fosse, mormente porque existe um paradigma nos tempos atuais, que valoriza o conhecimento como essencial ao sucesso em qualquer empreendimento.

Para crescer espiritualmente, de verdade, o conhecimento não é tão fundamental assim. Mais vale praticar poucas verdades do que fartar-se de conhecimentos - cada vez mais questionáveis em função da ampla divulgação nas redes sociais. A chegada e popularização dos meios de comunicação, internet e redes sociais apresentam o risco da banalização da tradição. Isto, sem falar da inconveniência de opiniões pejorativas, de mau gosto e até ofensivas de pessoas que mais expressam suas amarguras e frustrações.

Mais do que simplesmente utilizar a prerrogativa da liberdade de expressão como conquista de civilização, muitas pessoas abusam dos limites e mais confundem do que contribuem para o engrandecimento da humanidade. Exemplo bem recente foi o caso dos trágicos acontecimentos ocorridos na França com chargistas e/ou anarquistas.

Conhecer o caminho é uma coisa e percorrê-lo é bem diferente. As bibliotecas do mundo inteiro estão repletas de conhecimento, mas o bom uso e absorção desse conhecimento é que conduz à sabedoria. Sem humildade, respeito, disciplina, reflexão e prática efetiva de nada adianta conhecer o caminho. É preciso percorrê-lo para sentir na pele que não basta filosofar ou usar da impulsividade de expressão, que se banaliza pelo efêmero ou inconsistência de conteúdo. É saber que o caminho precisa ser percorrido passo a passo, dia-a-dia, momento a momento. É preciso lembrar constantemente que todos seremos - e somos - testados, provados e forjados até a exaustão. É isto que dá consistência à nossa vida.

Portanto, caros amigos, precisamos ficar bem atentos, filtrar tudo, fazer boas escolhas e ficar apenas - e unicamente - com a essência do que vale a pena. Não tenhamos pena de descartar o que atrasa nossa jornada rumo ao Eterno. O resto - todo o resto - é efêmero e, portanto, não deve se constituir em peso morto.

 

* * *

 Saudações fraternais. Luz dourada para todos!

 

Endonews 71 - 22.02.2015

MAIS DO QUE MIL

1.     Mais do que mil lâmpadas, mais vale um olhar ardente.

2.     Mais do que mil livros, o amor seduz os corações apaixonados.

3.     Mais do que mil obras de arte, um fugaz momento pode marcar a memória para sempre.

4.     Mais do que a luz de mil estrelas, o amor ilumina todo o universo.

5.     Mais do que mil arco-íris, a música colore todos os sonhos.

6.     Mais do que mil críticas, um sorriso abre todas as portas.

7.     Mais do que mil dias, é preciso viver intensamente cada momento.

8.     Mais do que mil explicações, o silêncio diz tudo.

9.     Mais do que mil juramentos, a lealdade tem mais valor.

10.   Mais do que mil vivências, um só momento pode fazer a diferença.

11.   Mais do que mil religiões, é preciso apenas acreditar.

12.   Mais do que mil promessas, é preciso apenas uma certeza.

13.   Mais do que mil direções, basta conhecer o alvo.

(Élcio Santos)

 

Endonews 70 - 09.02.2015

BAÚS FECHADOS

     Muitas pessoas limitam suas vidas a uma prisão mental e depois jogam fora a chave que lhes permitiria encontrar a saída para os seus problemas.

     Suas mentes lógicas constroem, classificam e depois rotulam tudo, como se pudessem simplesmente guardar em algum lugar qualquer o fruto de seus pensamentos, emoções e atitudes. Entretanto, mal sabem elas que, uma vez colocada em ação uma energia, é preciso trabalhar o objetivo proposto, sob pena de, um dia, essa energia vir à tona quando menos esperam.

     Seu mundo é do tamanho de suas mentes - pequeno, limitado e, às vezes, egoísta, porque só pensam em tirar vantagens pessoais. Quase nunca deixam a energia fluir e seguir o seu curso, livremente.

     Nesse mundo há muitos armários empoeirados. São como baús fechados a sete chaves. É lá que guardam, também, muitos projetos e esperanças, que poderiam se transformar em belas obras e doces momentos, se tivessem a coragem de compartilhar seu sonhos com outras pessoas.

     Mas há uma esperança – sempre há uma esperança! Abrir os baús, remover a poeira, renovar os sonhos, ter a coragem de desapegar-se das raízes e contemplar um novo dia, pleno de luz e de novas possibilidades. Que tal hoje mesmo?

 

Endonews 69 - 25 de janeiro de 2015.

TEMPO DE PERDOAR!

Todos nós temos assistido neste início de ano civil a um bombardeio de notícias que não só assustam às pessoas de bem quanto constrangem a dignidade humana. O noticiário internacional, diariamente, relata tragédias, violências, terrorismo, massacres e um sem número de outras negatividades.

É bem verdade que devemos estar a par do que acontece no mundo, mas nunca foi tão próximo e tão real, porque a televisão, o rádio e as redes sociais conectam pessoas e encurtam distâncias e o tempo.

Então, o que antes estava distante e parecia ser “privilégio” apenas de outros povos, de repente está bem próximo, dentro de nossos sagrados lares. Pior ainda é saber que não apenas chegaram perto de nós quanto se alojaram em nossas emoções, mentes e, em algumas situações peculiares, se transformaram em ações perniciosas. Até violentas, como as ocorridas na França e em muitos outros países.

O mundo está mudando e as pessoas estão ficando cada vez mais inquietas. Muitas já cansaram de violências, corrupções, mentiras e promessas que não serão cumpridas. Então, é preciso ficar bem atento para não nos deixarmos levar pela correnteza massificada.

Neste momento, é tempo de reflexão, de ouvir a voz interior, de separar o joio do trigo, como diz a bíblia, e filtrar a sujeira e a ilusão, optando pela lucidez, pelos ensinamentos sagrados, pela maturidade e pelo bom senso. É preciso não se deixar levar pela influência de lideranças viciadas, as quais, muitas vezes, sabem utilizar a retórica com extrema habilidade na direção de interesses políticos/econômicos, misturando-os intencionalmente com tradicionais religiões, de modo a criar cortina de fumaça para consumar seus intentos.

O bom discípulo sabe e deve respeitar todas as religiões, porque estas buscam, antes de tudo, o entendimento, a fraternidade, o respeito pela vida como dom divino. No caminho, aprendemos que não podemos julgar ou nivelar o maior pelo menor. Acreditamos na justiça divina acima de tudo e que, portanto, não será apenas a justiça dos homens que promoverá a verdadeira paz entre os homens. Por que será que tentamos julgar, punir e atribuir a culpa sempre aos outros, e nunca debitamos a nós mesmos uma parcela de responsabilidade sobre o que acontece no mundo à nossa maneira de pensar, ser e agir?

O vídeo que agora oferecemos é fruto desta reflexão, como uma singela contribuição do Endoismo à necessidade do culto do perdão para conquistarmos a verdadeira liberdade.

https://www.youtube.com/watch?v=ZmfVKjoKZKI

 

Endonews 68, 29.12.2014.

MUDANDO A MIM MESMO

            A revista Super Interessante 341, de dezembro/2014, divulgou uma matéria extremamente interessante que diz respeito a todos nós, estudiosos das coisas espirituais, porque, muitas vezes, produz calorosos debates – “Os verdadeiros donos do mundo”. Segundo os dados publicados, apenas 67 pessoas possuem patrimônio igual ao de metade do planeta. E, pasmem, a diferença não para de crescer, o que significa dizer que em breve menos pessoas, ainda, terão riquezas maiores do que 3,6* bilhões de seres humanos juntos! (* a população mundial, em dezembro/2014, é estimada em 7,2 bilhões de pessoas)

            Para quem gosta de refletir sobre os porquês da existência, o tema vale a pena sob vários aspectos. Como pode isto acontecer? Qual é a explicação? Isto é justo? Não somos todos iguais perante o Criador? Por que a hierarquia espiritual permite tamanha discrepância? Por que os mestres não dão um canetaço, não fazem um decreto, uma medida provisória, e acabam de vez com o abismo que existe entre esses 67 eleitos e os 3,6 bilhões de pessoas?

            Esta é uma realidade dura de aceitar, mas que ultrapassa de longe ideologias e dogmas. Paira muito acima de emoções, intelectualismos, compartilhamentos em redes sociais ou troca de segredos em algumas sociedades fraternais. Muito mais do que mera reflexão tudo não passará de questionamento ou aceitação de uma realidade a qual está acima de nossa capacidade de compreensão.

            A questão, agora, é outra – aceito esta realidade, luto para tentar diminuir as diferenças ou mudo a mim mesmo? Afinal, o que está errado – a conivência divina com tamanha injustiça ou eu, quando penso que entendo das coisas da vida e me limito a criticar o que não entendo ou que me desagrada? Quem se atreve a atirar a primeira pedra e dizer que Deus é injusto?

            “Muitas vezes, dizia um antigo sábio, me emocionei com a fábula do pássaro que ao se sentir pequenino diante do grande incêndio da floresta levava uma gota dágua no bico – gota por gota, para ajudar a apagar o incêndio. E dizia, orgulhoso – se não posso conter todo o incêndio, pelo menos estou fazendo tudo o que posso.” O sábio estava certo. Até certo ponto, porque no drama da vida já não há lugar para emoções.

            Atualmente, existe não apenas 67 mentes trabalhando pelo girar da roda da fortuna e pelo bem da humanidade. Há um grupo de almas conduzindo silenciosamente o destino de muito mais do que apenas 3,6 bilhões de indivíduos. Essas almas não só promovem a vida quanto projetam o futuro, aproximam o divino e libertam a humanidade da densidade vibracional. Quantos são? Quem sabe? Não há revista que possa fazer estatística.

            É a estes que devemos nos juntar. Não apenas fazendo incansáveis viagens levando gotinhas, porque isto pertence aos pequenos pássaros. Nosso destino é maior. No mundo espiritual ninguém espera de nós apenas gotículas, mas ardor e coragem para assumir nossa condição divina.

Em 2015, para frente e para cima, rumo ao Eterno!

 

 

COMENTÁRIOS